Publicado em

Composição do gás de cozinha

O gás de cozinha é um elemento super necesssário em nosso dia-a-dia que nos permite fazer pratos deliciosos em nossa cozinha. Mas o que muita gente não sabe, é do que este nosso aliado é composto. Por isso nós resolvemos matar a sua curiosidade e explicar do que é feito o gás de cozinha.

O gás de cozinha é fundamentalmente composto pelos gases propano e butano, além da adição de um composto de enxofre para dar o cheiro que serve como aviso.
Este tipo de gás é o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), mas essa sigla também pode significar Gás Líquido Pressurizado. Esses nomes indicam a origem e algumas características do gás de cozinha, isto é, sua origem é o petróleo; ele está líquido dentro do botijão de gás; e é submetido a elevadas pressões.

Os gases propano e butano são os principais componentes do gás de cozinha, sendo altamente inflamáveis, inodoros e incolores. Mas se eles não possuem cheiro, por que nós logo sentimos um odor característico quando o gás de cozinha está vazando?
Na verdade, esse cheiro que nós sentimos não é nem do propano nem do butano, mas sim de substâncias de enxofre (tiocompostos ou compostos sulfurados), mais especificadamente do grupo dos tióis, também chamados de mercaptanas. Essas substâncias que são adicionadas ao gás de cozinha possuem um odor extremamente desagradável e podem ser detectadas prontamente pelo consumidor mesmo em baixas concentrações. Esse alerta diminui o risco de acidentes.

Sabemos que são termos bastante químicos e científicos, mas afinal esses são realmente os elementos que compõem o nosso gás de cozinha, portanto, é sempre bom deixar registrado este tipo de informação, não é mesmo? 😉

Via Brasil Escola

Publicado em

Você sabe como surgiu o gás natural? Iremos resumir esta história para você

O gás natural foi descoberto na Pérsia entre 6000 a.C. e 2000 a.C. e, segundo algumas indicações históricas, era usado para manter aceso o “fogo eterno” – símbolo de adoração de uma seita local.

Na China é conhecido desde 900 a.C., mas o conhecimento da primeira utilização do gás natural, segundo um manuscrito chinês, data de 347 a.C.. O manuscrito descreve um “ar de fogo” que podia ser usado para iluminação.

Na Europa, o gás natural foi descoberto no século XVII, embora não tenha despertado grande interesse. O gás de iluminação pública na Europa, a partir de 1790, era produzido a partir do carvão. Há cerca de 200 anos, Alessandro Volta descobriu o potencial energético do gás natural quando verificou que as bolhas emergentes da água, no lago Maggiore, ardiam com chama azulada.

Em 1821, as ruas de Fredonia, perto de New York, eram iluminadas por gás natural, meramente porque o gás emergia espontaneamente de um buraco no chão, à saída da cidade. A canalização era feita de madeira e chumbo e pode assim imaginar-se o nível de insegurança para as pessoas, quer em termos de potenciais explosões, quer em termos de envenenamento. Não havia mecanismos fiáveis para transportar o gás até às casas o que impedia assim o seu uso para aquecimento, cozinha e outros usos, sendo apenas utilizado para iluminação pública

Foi, finalmente, a descoberta de Robert Bunsen – o célebre bico de Bunsen – em 1885, misturando ar e gás natural, que permitiu usar plenamente as vantagens deste combustível. Os produtores de gás natural rapidamente mudaram a sua atenção para as propriedades térmicas deste combustível, promovendo-o como fonte de energia para aquecimento ambiente, de águas sanitárias e cozinha.

Foi após a Segunda Guerra Mundial que o transporte de gás por gasoduto teve a sua expansão. Foram os avanços resultantes da guerra, na metalurgia, na soldadura e na produção dos tubos que permitiram o rápido desenvolvimento do transporte de gás.

As preocupações com o aquecimento global e a sustentabilidade vieram reforçar o papel do Gás Natural como fonte energética global.

E,aí? curtiu saber um pouco mais sobre a história do gás natural? Conte para a gente o que achou. 😉

Via Ag Natural

Publicado em

Truques para manter sua cerveja gelada por mais tempo

Quando vamos beber cerveja, queremos bebe-la bem gelada, não é mesmo?
Não importa a época do ano, cerveja só é boa quando está gelada mesmo.

Por isso, trouxemos algumas dicas para você manter a sua gelada por mais tempo! Confere aí:

1 – Prefira gelar cerveja em menor quantidade
É mais fácil e rápido gelar cinco latinhas de 200 ml do que uma garrafa de vidro de um litro. As latinhas de alumínio são menores e, portanto, ficam menos tempo vulnerável às variações de temperatura.

2 – Gelo com água é melhor que só gelo. Acredite.
O ideal é encher o balde de cerveja com gelo e água.

3 – Use um cooler
Se a ocasião pede muitas cervejas, a forma mais rápida de gelar cerveja não é o freezer, mas um cooler, pois as pedras de gelo são mais eficientes do que a geladeira. Por isso, manter um cooler com gelo ensacado traz duas vantagens: além de ter em mãos cerveja gelada, as pessoas abrem menos a porta da geladeira, o que ajuda a preservar a temperatura fria lá dentro.

4 – O sal pode ser um potente aliado
Uma mistura de água e gelo pode ser mais fria com a adição de sal, mas esse truque só funciona quando o gelo está na temperatura de vários graus negativos.

5 – Girar a garrafa
Quando a cerveja estiver parcialmente imersa na água ou no gelo do cooler ou do balde, gire-as de vez em quando para misturar a parte gelada com a outra que não está tão assim. Mas cuidado para não agitar demais a bebida.

E aí, aprendeu como faz?
Então, peça já sua cerveja na Bittencourt Cardoso!

Publicado em

Dicas de como instalar seu fogão da maneira correta

Instalar o fogão pode ser uma tarefa simples ou bastante complexa dependendo exclusivamente do tanto que você conhece e sabe sobre como usar ferramentas e conectar as coisas.
Para facilitar esta tarefa, separamos 5 dicas para ajudar você a instalar seu fogão da maneira correta.

1-Desligue o gás para instalar o fogão
A primeira dica para instalar o fogão do jeito certo e completamente seguro, é desligar totalmente o gás para que todo o processo de instalação seja mais seguro e eficiente.
Cortar o envio do gás é indispensável porque evita o acontecimento de acidentes que podem ser provocadas ao acender luzes, usar outros equipamentos elétricos no mesmo espaço ou até mesmo usar um fósforo!

2-Repare na parte elétrica
Desligado o gás, o segundo passo e dica é preciso que o responsável pela instalação repare com atenção na parte elétrica. O fogão deve ser instalado sempre próximo a um ponto de energia em que ficará continuamente ligado.
Outro cuidado importante é que ao instalar o fogão seja destinada uma tomada exclusiva para o eletrodoméstico. Não é aconselhável fazer uso de extensões ou benjamins para não sobrecarregar a tomada, vindo a causar panes elétricas entre outros problemas.

3-Qual o modelo de fogão?
Vale lembrar que existem ainda vários tipos e modelos de fogão e que cada um deles pode exigir um cuidado mais especial no momento da sua instalação.
No caso do fogão mais comum, de piso, é importante verificar que o espaço em que ele será instalado tenha um espaço destinado à respiração do eletrodoméstico. É indicado ao menos 10 cm em cada lateral e também de distância da parede na parte de trás. Na frente, ao menos 65 cm para que o forno possa ser aberto tranquilamente.

4-Tipo de gás
Existem dois tipos de gás o GLP (gás liquefeito de petróleo) e o GN (gás natural). O primeiro é o mais comum e comercializado em botijões.
Já o GN requer a ajuda de especialistas para a instalação do fogão uma vez que modificações podem ser requeridas.

5-Faça testes para verificar se há vazamentos
Por fim, a última dica na hora de instalar o fogão é conferir se tudo está certo e se não há vazamentos. Este teste também é indicado quando há troca de botijão de gás.
A forma mais certa de fazer essa verificação é passando um pouco de espuma de sabão nas partes em que há conexão entre o gás e o fogão. Repare se há modificação, pois indica vazamento.

Gostou das dicas?
Depois do seu fogão corretamente instalado, peça o gás dele na Bittencourt Cardoso 😉

Via canada-discountpharmacy.org

Publicado em

Como acender carvão para churrasco da maneira certa

Quem não gosta de reunir as pessoas e organizar um delicioso churrasco com os amigos ou a família? No grupo de responsáveis por esse evento sempre contamos com o “especialista de carnes” – que escolhe as carnes que vão para o fogo – o “especialista de bebidas” – que organiza a compra das bebidas e sua disposição na geladeira – e, é claro, o “especialista em carvão” – responsável por acender a churrasqueira.

O papel de “especialista em carvão” é sempre o mais difícil de ocupar, visto que poucas pessoas realmente sabem acender um carvão para churrasco da maneira certa. Pensando nisso, separamos algumas dicas para que você cumpra essa tarefa com sucesso no próximo encontro com os amigos ou a família!

Passo #1: Escolha um carvão de qualidade
Para ter sucesso ao acender um carvão para churrasco, primeiramente, é preciso ter atenção para comprar um carvão de qualidade. Muitas vezes, economizar na compra desse item indispensável para seu churrasco, pode acabar lhe custando muito mais caro, já que carvões de má qualidade duram menos tempo e são mais difíceis de acender.

Passo # 2: Use carvões secos e prontos para a queima
Ao comprar um carvão, lembre-se sempre de armazená-lo em um local seco e seguro até a hora de utilizá-lo. Para que a chama consiga ser acessa com facilidade, os pedaços de carvão precisam estar extremamente secos e com nenhuma gotinha de umidade. A água pode dificultar o processo de queima do carvão, visto que o próprio álcool já tem um volume hídrico relativamente alto.

Passo # 3: Espalhe uma boa quantidade de carvão na churrasqueira
Para começar a preparar sua churrasqueira, pegue os carvões secos e distribua bem no espaço reservado para a queima. Alguns especialistas em churrasco preferem empilhar alguns carvões para facilitar que o fogo se espalhe mais facilmente, entretanto, você só precisa ter atenção para deixar os pedaços maiores de carvão no fundo da churrasqueira.

Passo # 4: Coloque álcool gel sobre o carvão para churrasco
Apesar de muitas pessoas utilizarem o álcool tradicional, também chamado de álcool 70%, para acender uma churrasqueira, é recomendável sempre preferir a versão em gel. O motivo é a menor concentração de água nesse tipo de álcool, situação que facilita a queima.

Passo # 5: Coloque o fogo em contato com o álcool
Na hora de acender o carvão, é preciso ter muito cuidado para não se queimar. Há quem prefira usar um fósforo aceso e colocar em contato com o álcool ou então explorar outras técnicas de levar o fogo até à mistura. Você pode acender um pão e colocá-lo no meio da churrasqueira, um pedaço de papel ou até mesmo usar um acendedor. A maneira que lhe parecer mais segura e que lhe deixar mais confortável é a que deve ser usada!

Passo # 6: Espere sua brasa ficar no ponto ideal para o churrasco
Não basta apenas acender o carvão e já começar a preparar as carnes. Uma boa brasa precisa de tempo para acender e ficar na temperatura ideal para o seu churrasco. Recomendamos que, após acesa, você espere cerca de 40 a 50 minutos para começar a trabalhar nas carnes e acompanhamentos que vão para a grelha.

Uma vez que você iniciou os preparos, sua brasa vai sempre precisar de atenção. Use pedaços de carvão para alimentá-la sempre que começar a perder calor e controle o fogo em excesso com o uso de cinzas produzidas com os carvões já queimados. Jamais use água ou outras técnicas para diminuir o fogo, ok?
Reserve alguns pedaços de carvão para churrasco para sempre alimentar o fogo quando for preciso aumentar a brasa. Recomendamos, entretanto, que você sempre conte com pelo menos dois sacos de carvão para evitar surpresas durante o preparo das carnes. 😉

Agora você aprendeu a usar o carvão da maneira certa não, é? Então não perca tempo e peça logo o carvão para o seu churrasco na Bittencourt Cardoso

Via content.paodeacucar.com

Publicado em

Oito dicas para usar corretamente o aquecedor a gás e economizar

Nesse friozinho de agosto, quem tem aquecedor à gás em casa é mais feliz não é mesmo?
Mas ele exige alguns cuidados de manutenção, portanto separamos algumas dicas para que você use sempre seu aquecedor da forma correta.

1 – Mantenha a manutenção do aquecedor em dia
“É aconselhável a revisão dos equipamentos a cada seis ou oito meses ou conforme a orientação do fabricante”, afirma Azevedo. Ele faz uma lista dos itens que precisam ser checados em cada revisão: dutos da chaminé, pressão, bicos de entrada do gás e da água e queimadores.

2 – Observe a vida útil do equipamento
O gerente da Compagas alerta para o prazo determinado pelo fabricante para a substituição do aquecedor. Quando esse prazo se esgota, é necessário trocar o equipamento.

3 – Cuidado com a temperatura
Regule a temperatura da água do aquecedor “de forma que seja necessário acionar somente o registro de água quente na hora do banho”, aconselha Azevedo. A prática de abrir tanto a torneira de água quente quanto a de água fria para “equilibrar” a temperatura aumenta o consumo de gás.

4 – Em caso de ausência, feche o registro de gás
Essa medida está ligada à segurança. Quando for passar vários dias fora de casa, por exemplo durante as férias, mantenha o registro do gás fechado. A medida vale também para o registro de gás do fogão.

5 – Fique de olho no funcionamento do aquecedor.
Caso ele não esteja acendendo imediatamente após a abertura da torneira de água quente, verifique se a instalação foi feita corretamente. Se necessário, chame um técnico.

6 – Não instale ou faça a manutenção do aquecedor por conta própria
Além da possibilidade de estragar o equipamento, esse tipo de atitude põe em risco sua segurança e a dos demais moradores da casa ou prédio. Quando se trata de equipamentos a gás, chame sempre “profissionais habilitados e/ou assistências técnicas autorizadas e com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea)”, recomenda Azevedo.

7 – Mantenha a ducha e as torneiras de água quente sempre limpas
Embora esses cuidados não influenciem o consumo de gás, segundo o especialista, eles permitem um controle melhor da temperatura desejada. “A sujeira na ducha pode afetar a vazão da água (para uma menor vazão) e, com isso, tem-se uma temperatura maior na ducha e diferente da registrada no aquecedor”.

8 – Durante o inverno, cuidado dobrado
“O mais indicado é que aquecedores a gás sejam instalados na área de serviço, porque costuma ser o ambiente mais arejado da casa. Essas indicações valem para o ano todo, mas no inverno, quando a tendência é manter portas e janelas fechadas, o cuidado deve ser maior”, afirma Azevedo.

Via Gazeta do Povo

Publicado em

O poder da água para o corpo

Beber ao menos dois litros do líquido por dia fazem um bem danado para o corpo. Além de regular as funções do organismo, pode hidratar nossa pele e cabelos, evitar problemas nos rins, controlar a saciedade, entre outros. Se você não é fã da famosa substância H2O é bom repensar esse gosto. Conheça todas as vantagens que ela pode trazer para o seu bem-estar e ponha essa fonte de nutrição de uma vez por todas na sua rotina.

SUA PELE MAIS BONITA
A água ajuda a eliminar as impurezas do organismo e melhorar a circulação sanguínea. O resultado disso tudo é uma pele mais bonita. Quando estamos bem hidratados, as rugas se tornam menos perceptíveis, o aparecimento da celulite diminui e o equilíbrio celular melhora.

UNHAS E CABELOS HIDRATADOS
Outros grandes beneficiados com o consumo da água são os cabelos e as unhas. Bebendo a quantidade correta os fios ficam mais brilhosos, macios, hidratados por muito mais tempo e protegidos contra as ações climáticas. As unhas não fogem dessas vantagens e ficam mais fortes e saudáveis.

ACABA COM O INCHAÇO
Quando bebemos bastante água nossos rins trabalham mais e, com isso, há menos retenção de líquido e sódio, principais responsáveis pelo inchaço. Além disso, com o corpo hidratado o volume de sangue aumenta e melhora a circulação.

EXCELENTE PARA OS RINS
Muito mais do que matar a sede e hidratar seu corpo e organismo, beber água é essencial para o bom funcionamento dos rins. Ela ajuda a eliminar os resíduos e nutrientes desnecessários, como o sódio, ureia e toxinas do corpo. Tem coisa melhor?

GRANDE ALIADA NO EMAGRECIMENTO
Beber água antes e depois das refeições ajuda muito a aumentar a sensação de saciedade. Ela também possui um grande papel no processo de digestão e melhora o funcionamento do intestino. Mas, é preciso lembrar que o líquido não é capaz de fazer todo trabalho sozinho. Pra que o resultado seja eficaz no emagrecimento, a prática de exercícios físicos regularmente e uma alimentação saudável também precisam ser consideradas.

REGULA O INTESTINO
Além de manter uma alimentação com frutas, legumes e fibras, beber água também ajuda muito no funcionamento correto do intestino. Tudo isso porque o aumento da ingestão de líquido auxilia todos esses alimentos a realizarem suas funções, facilitando a formação do bolo fecal e os movimentos intestinais que eliminarão os excessos do nosso corpo. Então, comece a adotar este hábito para sua vida. Só assim você terá um corpo bem mais saudável e longe de problemas.

Viu só? Então peça já sua água na Bittencourt Cardoso e faça esse bem para o seu corpo.

Via Sorriosiologia

Publicado em

Chuveiro elétrico ou a gás? Vantagens e desvantagens.

Esta matéria foi criada pela folha http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/morar/2017/07/1899484-veja-as-vantagens-e-desvantagens-do-chuveiro-eletrico-e-a-gas.shtml

O chuveiro elétrico, presente em 73% das casas do país, é responsável por um quarto do consumo mensal de energia numa residência com até quatro pessoas, segundo levantamento do Procel (Programa de Conservação de Energia Elétrica do Ministério das Minas e Energia).

 

“Como utiliza uma resistência para aquecer a água, o equipamento acaba consumindo bastante luz”, diz Rubens Leme, coordenador de usos finais e eficiência energética da AES Eletropaulo.

Um consumidor médio da concessionária gasta em torno 250 KW/h por mês -dos quais, 75 KW/h (cerca de R$ 46) são por conta do banho com chuveiro elétrico.

Para quem busca economizar na conta de luz uma opção é utilizar chuveiros a gás. Muitos condomínios horizontais e edifícios estão preparados para esse sistema. Mas também é possível fazer a conversão da ducha elétrica para gás com a instalação de um aquecedor.

“O diferencial do banho com chuveiro a gás é o conforto. A vazão de água é maior e é possível controlar melhor a temperatura”, diz Sérgio Luiz da Silva, diretor comercial da Comgás. O kit de conversão da concessionária custa de R$ 500 e R$ 800.

Apesar da redução do valor da conta de luz, é preciso considerar, após a conversão, o aumento da própria fatura do gás e o do consumo de água (veja o quadro ao lado).

O editor Vanderlei Abreu, que mudou de um apartamento com chuveiro elétrico para um com sistema a gás, diz não ter tido vantagem financeira. “Mas prefiro o banho com chuveiro a gás”, diz.

O arquiteto Thiago Papadopoli alerta para o uso correto do aquecedor. “No inverno, é comum as pessoas aumentarem a temperatura. Quanto mais alta, mais caro fica. O ideal é deixar o aparelho com o termostato em torno dos 38°C. Pode demorar a esquentar um pouco, mas o corpo não sente tanta diferença.”

A pressão da água é outro fator a considerar no sistema a gás. A revisora de textos Karin Esteves chegou a instalar um pressurizador para tentar aumentar a vazão, mas não adiantou. “Acabamos voltando a usar uma ducha elétrica em outro banheiro da casa.”

Para quem não tem a opção de usar um sistema de aquecimento a gás e quer trocar o chuveiro, há aparelhos mais modernos. “As duchas com sistema eletrônico têm controle gradual de temperatura e melhor eficiência energética”, diz Alexandre Tambasco, gerente da Lorenzetti.

 

“Mas antes é preciso checar se a rede elétrica da casa suporta a ligação do novo aparelho”, afirma o engenheiro elétrico José Machado.

 

Banho quentinho

A diferença entre os sistemas

 

ELÉTRICO

Prós

De fácil instalação, requer nenhuma ou poucas mudanças no banheiro. Os chuveiros mais simples custam a partir de R$ 40. Há opções de aparelhos mais modernos, com pressurizador e até músicas

Contra

Representa cerca de 23% do consumo da conta de luz. Se for mal instalado, pode oferecer riscos para a rede elétrica e até para o usuário. Tem menor vazão de água e não funciona em casos de falta de energia

 

SOLAR

Prós

O aquecimento solar é a opção que causa menor impacto ambiental e reduz o valor consideravelmente da conta de luz. É indicado para casas e regiões com muita incidência de sol

Contra

o equipamento de captação de energia e o reservatório de água custam a partir de R$ 1.200. Há ainda o custo da mão de obra de instalação e da tubulação para água quente. Não é recomendado para regiões com poucos dias de sol. O sistema depende de backup elétrico ou a gás

 

A GÁS

Prós

Por ter mais vazão de água, permite um banho mais agradável e melhor controle da temperatura. As duchas mais simples custam em torno de

R$ 150, e os aquecedores mais simples, a partir de R$ 400

Contra

A instalação depende da rede de distribuição de gás que vem da rua ou do condomínio. Requer mão de obra especializada e tubulação específica, o que resulta no encarecimento do serviço. Existe o risco de vazamentos.

Publicado em

Como evitar acidentes no seu apartamento.

Deixe a válvula de gás sempre desligada enquanto você não estiver utilizando o fogão.

Na hora da instalação, não deixe que a mangueira de transporte do gás fique atrás do fogão pois o calor irá danificar plástico aumentando as chances de vazamento.

Compre botijões de gás apenas em empresas de confiança, assim como a Bittencourt Cardoso.

Verifique se os botijões estão em perfeito estado, sem amassados, enferrujados e com o lacre no lugar correto.

Não armazene os botijões de gás em locais fechados e sem ventilação. Eles precisam estar em locais com ventilações constantes e fora do alcance de chuvas ou de sol.

Não coloque os botijões em locais perto de “buracos” de armazenamento, como, por exemplo, ralos. Pois o gás pode se acumular neste local.

É importante que assim que chegar um botijão novo na sua casa, verifique se não há nenhum vazamento. Se houver, ligue imediatamente para a distribuidora e solicite assistência.

Ao sentir cheiro de gás no ambiente, nunca o ignore, isso é um sinal de vazamento de gás. Sempre procure saber de onde está vindo.  Haja com consciência e tome as devidas precauções e chame profissionais capacitados para lidar com a situação.

Caso precise de suporte, não hesite em ligar para a Bittencourt Cardoso. Será um prazer auxilia-los.

Publicado em

Economizando no consumo de gás de cozinha

Com a crise econômica que nosso país vive e os constantes aumentos nas fontes energéticas a saída para não pesar no bolso é ECONOMIZAR.

Tivemos diversos aumentos no valor do gás desde 2017 e isso é demais não concordam?

 

Mas quais atitudes podem reduzir o consumo de gás na nossa residência?

A qualidade do gás é extremamente importante na economia. Procure distribuidoras que forneçam gás de qualidade, assim como a Bittencourt Cardoso.

Os queimadores do fogão e do forno devem estar sempre limpos (sem gordura e sujeira), as chamas devem sair azuladas, isso faz com que a combustão seja mais “perfeita” equilibrando a mistura de oxigênio e gás.

É errado pensar que os alimentos cozinham mais rápidos no fogo alto, cada alimento possui seu ponto de cocção, sendo assim se a chama sai pelas laterais da panela você está “jogando fora” o gás. Centralize a sua panela sobre a chama de gás

Ao utilizar o forno, procure mantê-lo fechado, aproveitando ao máximo o calor produzido pelo mesmo;

Os queimadores e reguladores de pressão devem estar bem regulados, se estiverem mal regulados o consumo de gás pode aumentar em até 30% ao mês. Esse problema pode ser notado, através de ruídos no queimador, chamas amarelas ou chamas que apagam sozinhas.

OBS: Notou que sua chama está muito forte, chame a Bittencourt Cardoso para regular ou mesmo reduzir a pressão.

 

Limpe periodicamente os injetores dos queimadores;

Tome cuidado com as fortes correntes de ar, elas podem atrapalhar uma combustão perfeita, esfriar as panelas e consequentemente aumentar o tempo de preparo dos alimentos

 

E os “economizadores de gás” que existem no mercado funcionam?

Primeiro temos que ter a consciência que não existe mágica, até hoje o que vi são peças que restringem a passagem de gás e consequentemente fazem uma “educação forçada” abaixando a chama de gás.

 

Existe algo no mercado que realmente reduza o consumo de gás?

Primeiro a manutenção preventiva no sistema ajuda a conservar os equipamentos, troca peças como o regulador que ao longo do tempo perdem sua capacidade de trabalhar com eficiência, os ensaios de estanqueidade que verificam possíveis vazamentos ocultos.